sexta-feira, 23 de maio de 2008

AGENDA 21 E JUVENTUDE: TRANSFORMAÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE*

A discussão modelo de desenvolvimento para a sociedade é pauta da esquerda mundial há vários anos. Os espaços de grande importância, como Fórum Social Mundial(FSM)têm como eixo a discussão de que um outro mundo é possível, incorporam as questões ambientais em suas temáticas, demonstrando que somente as mudanças dos modelos político, econômico e social são insuficientes para garantir a justiça, a eqüidade e a qualidade de vida para todos os habitantes da terra.

De acordo com os estudos do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) divulgados em 2007,o planeta apresenta um quadro preocupante, principalmente para os países mais vulneráveis. A temperatura global tem aumentado de forma assustadora, sendo estimado um acréscimo de 5,4°C até o final do século, ameaçando vários ecossistemas. Segundo o IPCC (2007), 90% das mudanças climáticas têm causa na ação humana.

A sustentabilidade, expressão que vem se popularizando, traz consigo a concepção de que é possível existir um processo de desenvolvimento que atenda as necessidades e as aspirações das gerações presentes e futuras. Busca-se outras formas de desenvolvimento que não acompanham a lógica do modelo de produção e consumo do sistema capitalista fundada na exploração sistemática e ilimitada de todos os recursos da Terra, incluindo os seres humanos.

Durante a Conferência sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro em 1992, conhecida, também como Rio-92, a Agenda 21 foi um dos documentos centrais das discussões, juntamente com a Convenção sobre Mudanças Climáticas e a Convenção Sobre Diversidade Biológica, sendo os três assinados por Chefes de Estado nesse evento. Esse trio tratou de praticamente todas as grandes questões socioambientais, demonstrando a inter-relação entre eles e suas conseqüências em nossas vidas.

A Convenção Sobre Diversidade Biológica é o principal fórum mundial na definição do marco legal e político para temas e questões relacionadas à biodiversidade ((http://www.cdb.gov.br/CDB). A Convenção sobre Mudanças Climáticas, assinada durante a Rio-92, entrou em vigor em 1994 propõe ações e diretrizes para o combate ao aquecimento global, por meio do protocolo de Quioto, e vem sendo discutida nas Conferências das Partes (COP).A Agenda 21 Global é um documento que está voltado para os problemas prementes de hoje e tem o objetivo de preparar o mundo para os desafios do próximo século. Ela reflete um consenso mundial e um compromisso político no nível mais alto no que diz respeito ao desenvolvimento e à cooperação ambiental. Reconhece que o desenvolvimento sustentável e a proteção do meio ambiente somente serão viáveis com o apoio das comunidades locais, que terão ações locais com a visão global dos problemas a serem enfrentados. Por isso, uma das grandes recomendações da Agenda 21 Global é que cada país signatário construa a sua própria Agenda 21. O Brasil tem a sua Agenda 21 e incentivo à construção de processos locais.

A Agenda 21 tem sido um instrumento importante para a transformação da realidade. Quando se pensa em utilizá-la, é porque há uma reflexão de que a maneira como está se vivendo é insuficiente para perenizar a vida humana no planeta. É preciso, além da mudança nas relações entre pessoas e a natureza, mudar as relações entre os próprios seres humanos, repensando princípios e valores vigentes na sociedade. A Agenda 21 brasileira tem seus princípios baseados na Carta da Terra.

A Agenda 21 traz no caminhar dos seus passos (mobilização e sensibilização; criação do fórum da Agenda 21; elaboração do diagnóstico participativo; elaboração, implementação e avaliação e monitoramento do plano de ação) a construção coletiva da práxis em todo o processo de planejamento e ação que devem resultar na transformação da realidade, tendo em vista a construção de um mundo sustentável, diagnosticando e entendendo os conflitos envolvidos e pactuando formas de resolvê-los. O processo de Agenda 21 significa, então, o exercício da democracia participativa, coloca à mesa o poder público e os setores econômicos e sociais da sociedade, pactuando cada passo a ser dado.

A juventude não está deslocada dessa realidade. No Brasil, são 34 milhões de jovens, segundo dados do IBGE (2000). Esse segmento se organiza em diferentes espaços com o intuito de construir um mundo cada vez mais sustentável. Entre esses espaços, estão processos de Agenda 21 em escolas, comunidades, cidades, etc.

Atualmente tem se discutido a construção da Agenda 21 da Juventude Brasileira. Esse processo visa organizar as juventudes para a discussão da sua realidade dentro de uma perspectiva ambiental, com o intuito de construir ações que contribuam para a transformação da realidade, levando em consideração suas peculiaridades como segmento.

O tema mudanças climáticas também é pauta de discussão da juventude, uma vez que ela também sofre com o aquecimento global. Principalmente quando falamos de jovens das periferias das cidades e jovens do campo. Estes, além de sentirem a opressão de classe, etária, étnica e de gênero, sentem com intensidade as conseqüências das ações humanas na natureza.

Por isso, a importância de construir um processo em que seja possível o diálogo entre as diversas juventudes, o estado e o setor privado na perspectiva de consensuar ações e políticas que estejam de acordo com a realidade desse segmento e as suas aspirações, sem comprometer as gerações futuras e repensando princípios e valores da sociedade.

A Agenda 21 da Juventude Brasileira é um passo para a construção da sustentabilidade. A discussão do modelo de desenvolvimento é a base para iniciar qualquer processo de Agenda 21, e no caso da juventude não deve ser diferente, o que contribui para a mudança de comportamentos, princípios e valores da sociedade.


Por Rebeca Raso
Estudante de Economia Doméstica da UFC, Coletivo Jovem pelo Meio Ambiente - Ceará, Juventude Alternativa Terrazul e REJUMA.


- - -

*Artigo publicado na Revista Agenda 21 e Juventude

2 comentários:

Dina Vale disse...

Ficou OTIMO o Blog! Valeu garotas!

Evelyn Moraes disse...

Parabéns pelo trabalho e pela atitude de criar este blog que possibilita uma maior interatividade e troca de informações e experiências. Sejam bem-vindos a esta fantástica rede virtual!

Aproveito para divulgar meu blog:
www.paratudototensa.blogspot.com

Um abraço!